“A questão que minha mente formulou foi respondida pelo radiante céu do Brasil - Albert Einstein”. No dia 29 de maio de 1919, sob o céu de Sobral (CE), durante um eclipse total do sol que durou 5 minutos e 12 segundos, foi comprovada a Teoria da Relatividade Geral proposta pelo físico alemão Albert Einstein em 1915. Desde então, a gravidade dos corpos passou a ser entendida como uma propriedade geométrica de uma nova dimensão espaço-tempo. As imagens deste eclipse, juntamente com imagens atuais da cidade de Sobral, estarão em exibição a partir do dia 27 de maio na Casa de Cultura de Sobral (Av. Dom José, 929 - Dom José). A exposição é uma parceria entre o Observatório Nacional e a Prefeitura Municipal de Sobral.

A exposição dos 80 trabalhos do fotógrafo e artista visual Luiz Baltar celebra o céu da cidade, sua arquitetura e o cotidiano do seu povo. A essa exposição serão somadas atividades de popularização da ciência junto a estudantes. A proposta é uma oportunidade para realização de uma ampla divulgação da ciência e da história da ciência brasileira.

A mostra "Pelo Céu de Sobral" é uma retribuição e um agradecimento à cidade que recebeu a comissão científica do Observatório Nacional, em 1919. Sem o empenho e a ajuda das autoridades e dos moradores, as expedições não teriam conseguido as condições ideais para realizar o trabalho que teve resultados tão importantes. A exposição contará com uma versão digital, que ficará disponível para toda a sociedade por meio da página do Observatório Nacional na internet (www.on.br).

A exposição

A ideia de uma exposição de fotografias sobre a cidade de Sobral surgiu primeiro com a proposta de uma “arqueologia visual”, descobrir no cotidiano da cidade situações e personagens que gerassem imagens alusivas à expedição científica, ao eclipse de 1919 ou até mesmo sobre Albert Einstein.

Encantado por encontrar um conjunto arquitetônico peculiar, composto por prédios de diversos estilos, mas que se harmonizam com um céu de cores espetaculares e nuvens monumentais que, com toda certeza, impactou os cientistas da expedição de 1919, Luiz Baltar colocou o céu como personagem principal de muitas das 80 fotos que compõem a exposição que pretende estabelecer um elo entre Sobral, no Ceará, e o Observatório Nacional, instituição científica de 191 anos, sediada no Rio de Janeiro.

 

100 anos depois, Observatório Nacional volta a Sobral em nova expedição

O eclipse total do Sol ocorrido em 29 de maio de 1919 foi visível em uma estreita faixa de terra que atravessava os continentes da América do Sul e da África, na região próxima ao equador terrestre, e os experimentos realizados na observação desta efeméride permitiram a comprovação da Teoria da Relatividade Geral, que o físico Albert Einstein havia publicado em 1915.

O Brasil foi protagonista deste importante feito: as fotografias registradas em Sobral confirmaram o valor previsto na Teoria da Relatividade Geral sobre a deflexão da luz. Além da verificação científica de um dos pressupostos da teoria de Einstein, os astrônomos também buscavam estudar a coroa solar, visível unicamente durante os eclipses totais do Sol. Com este objetivo, o então diretor do Observatório Nacional, o astrônomo Henrique Morize (1860 – 1930), realizou observações e fotografias do eclipse.

A comprovação da Teoria da Relatividade Geral foi uma das grandes conquistas científicas do século XX e transformou a visão científica na atualidade. A partir dessa constatação, a ciência abriu caminhos para um melhor entendimento dos fenômenos físicos em escalas que vão desde o Sistema Solar até o universo como um todo. Isso é possível, basicamente, pelo fato de que a gravitação é a interação dominante em grandes escalas e, portanto, a partir de uma teoria bem sucedida do campo gravitacional pode-se explorar os mecanismos físicos que atuam nesses sistemas.

 

 

 

Luiz Baltar

Formado em gravura pela Escola de Belas Artes/UFRJ, fotografia pela Escola de Fotógrafos Populares/Imagens do Povo e pós-graduado em fotografia e imagens pela Universidade Cândido Mendes - UCAM. Trabalha como fotógrafo documentarista e desenvolve projetos autorais no campo da arte contemporânea. Acredita na fotografia como forma de expressão ativista e crítica, daí sua busca por estabelecer um diálogo entre fotografia e questões sociais, sobretudo no que diz respeito ao olhar sobre a cidade.

Em 2016 foi vencedor dos Prêmios Brasil Fotografia, Fundação Conrado Wessel e melhor portfólio do festival FotoRio. Incorpora as coleções do Museu de Arte Moderna /RJ, Museu de Arte do Rio (MAR), Espaço Cultural Porto Seguro, coleção Joaquim Paiva e Maison Européene de la Photographie (MEP).

 

ATIVIDADES COMPLEMENTARES À EXPOSIÇÃO

De 27 a 31 de maio (segunda a sexta - 9 às 17h)

Explorando o fenômeno: o eclipse de Sobral ao alcance do público

Atividades de popularização da ciência utilizando os seguintes experimentos: anéis de Einstein / efeito fotoelétrico / refração e deflexão da luz / deformação do espaço-tempo / plasma / realidade virtual sobre o eclipse de Sobral / ilusão de ótica

 

Serviço:

Exposição fotográfica Pelo Céu de Sobral

De 27/05  a 29/06

Local: Casa de Cultura de Sobral

Endereço: Av. Dom José, 929 – Dom José – Sobral (CE)

Horário: terça a sexta, das 8 às 21h; sábados, das 17 às 21h

Gratuito

Fonte: ON